Fechar
Interview 16 Outubro 2020, 23:47

Apresentação de Florentino Luis e Vito Mannone

Apresentação de Florentino Luis e Vito Mannone
Dois dias antes da recepção do Montpellier no Stade Louis-II, os dois últimos reforços do AS Monaco, Florentino Luís e Vito Mannone, foram apresentados à imprensa

Eles foram os dois últimos a chegar na janela de transferências monegasca. O jovem meia português Florentino Luís (21 anos), por empréstimo do Benfica, e o experiente goleiro italiano Vito Mannone (32 anos), foram apresentados à imprensa nesta sexta-feira (16). O português, que partiu para defender sua seleção durante a pausa internacional, aproveitou para nos contar um pouco mais sobre o seu perfil. Confira os destaques:

Florentino Luís: “Niko Kovac gosta de pressionar alto em campo e é um estilo que gosto”

Paul Mitchell: “Damos as boas-vindas a Florentino à nossa família do AS Monaco. Ele é a prova de que procuramos perfis muito competitivos para cada posição, para trazer a competição ao elenco. Ele vem do Benfica, com quem atuou em alto nível na Liga dos Campeões e na Liga Europa, e é também jogador da seleção portuguesa sub-21, tendo sido convocado em todas as categorias de base do seu país. Ele trará mais competições ao setor do meio de campo.”

Sua chegada:
É um prazer estar aqui em Mônaco. Durante a janela de transferências, houve muitas oportunidades, mas assim que o Monaco chegou, aceitei imediatamente. Este é um clube que foi campeão em 2017 e disputou recentemente uma semifinal da Champions League. Estou convencido de que é um clube que me fará crescer. Estou feliz por chegar aqui, quero continuar nesta temporada a crescer como jogador. Quero aproveitar cada momento para melhorar meu futebol.

Sua posição:
Fico mais confortável como volante, protegendo a defesa. Mas devo dizer que se o treinador quiser me chamar para outra posição, ficarei muito feliz em responder.

Seus modelos:
Muitos ótimos jogadores portugueses já jogaram aqui. E, no geral, o AS Monaco sempre teve jogadores muito bons. Meu ídolo, o jogador que sempre me inspirou, é Sergio Busquets, embora em outras funções eu gostasse muito de Thierry Henry quando era pequeno. Atualmente, Paul Pogba é um jogador que também assisto.

O campeonato e a equipe:
Portugal e França são dois campeonatos diferentes. Pelo que vi desde a minha chegada, temos uma equipe muito boa, muito competitiva e Niko Kovac é um grande treinador, com ideias claras. Ele gosta de pressionar alto em campo e esse é um estilo de que gosto. E devo dizer que ser a equipe que mais corre no campeonato é uma coisa boa, porque acho que nos trará resultados.

Vito Mannone: “Como sempre fiz, treino como se fosse titular”

Paul Mitchell: “É sempre difícil recrutar um goleiro bom e experiente. Estamos felizes por ter Vito conosco e vamos aproveitar sua experiência. Ele terminou como o melhor goleiro da MLS na temporada passada, e penso que ele ajudará o jovem Radoslaw Majecki a progredir e permitirá que Benjamin Lecomte seja ainda melhor.”

Sua chegada:
Conhecia o AS Monaco antes de vir para cá, é um clube muito grande. Aproveitar a oportunidade de encontrar um clube de ponta, não só a nível nacional, mas também europeu, foi uma grande possibilidade para mim. Estou muito feliz por ter chegado ao AS Monaco.

Seu relacionamento com Benjamin Lecomte:
É verdade que minha aventura aqui começou muito rápido, porque um dia depois que cheguei, eu estava no grupo. Desde então tenho conseguido trabalhar nos treinos e aos poucos vou conhecendo meus companheiros. Sobre Benjamin e Radoslaw, eu não os conhecia antes, mas já nos damos muito bem e estamos trabalhando muito para nos ajudar.

Seus objetivos:
Antes de chegar, conversamos com a direção. Eu estava vindo para fazer parte do trio de goleiros do elenco. Estou pronto para estar disponível se o treinador me chamar. Como sempre, treino como se fosse titular e quero muito estar disponível quando o treinador e a equipe precisarem de mim.

Seu retorno à Europa:
Foi realmente uma grande experiência que tive nos Estados Unidos, tanto no futebol quanto em termos humanos. Isso se seguiu a uma experiência na Inglaterra, na Premier League. A ambição continuou a me motivar e eu queria voltar para a Europa.

Suas inspirações e a Ligue 1:
Como fui formado na Atalanta, tenho que ter goleiros italianos como Angelo Peruzzi e Gianluigi Buffon como modelos. Na Ligue 1, eu passo minhas tardes assistindo a muitos jogos para aprender um pouco mais sobre este novo campeonato que estou descobrindo. Há muitos jogadores talentosos que passaram aqui no Monaco, como Thierry Henry. Estou muito feliz por descobrir este novo campeonato.

AS Monaco uses cookies on this website. With your agreement, we use them to access how this website is used (analytic cookies) and to adapt it to your needs and interests (customization cookies depend on your browsing and your browser). By continuing your browsing, you give us the permission to use them.