Fechar
Interview 30 Outubro 2019, 19:57

Manu Dos Santos: "O OM no coração, o AS Monaco no sangue"

Manu Dos Santos: "O OM no coração, o AS Monaco no sangue"
Treinador do sub-17 monegasco, Manu Dos Santos usou a camisa do AS Monaco e do Olympique de Marselha durante sua carreira de jogador

Manu, em 2003, enquanto vestia as cores do Olympique de Marselha, o AS Monaco venceu no Stade Vélodrome pelas semifinais da Copa da Liga. Você se lembra deste jogo?
Me lembro muito bem, estava em campo naquele dia. Se me recordo bem, perdemos por 1 a 0 com um gol de Dado Prso. Ele marcou ao completar na primeira trave o cruzamento de Jérôme Rothen, uma jogada bem trabalhada por esta equipe monegasca treinada por Didier Deschamps.

AS Monaco x Olympique de Marselha é sempre um clássico de prestígio, com uma verdadeira história, por isso ainda não é um jogo como os outros.
Manuel Dos SantosTreinador sub-17 do AS Monaco

Esta temporada 2019-2020 marca a última edição da Copa da Liga. O que te lembra esta competição?
Ela me inspira especialmente o arrependimento, por ter parado duas vezes nas semifinais. Houve 2003, mas também outra semifinal perdida contra o Nice pelo AS Monaco em 2006. Foi no Louis-II, nós dominamos, mas o Nice marcou nos últimos minutos. A Copa da Liga era uma competição com partidas de bom nível e uma qualificação europeia ao final. Mas ela nunca pegou aqui, enquanto na Inglaterra é uma competição que já dura há muito tempo.

Duelo de capitães com Ludo Giuly durante a semifinal OM x AS Monaco em 2003

Você vivenciou partidas de AS Monaco x OM por ambos os lados. O que esse duelo representa para um jogador?
Na minha época, ainda havia um pequeno aspecto de identidade, mas hoje sinto que há menos. O futebol é um reflexo da sociedade e, com a globalização, a cultura dos jogadores de futebol evoluiu. Dito isto, um AS Monaco x Olympique de Marselha ainda é um clássico de prestígio, com uma verdadeira história por trás, por isso não é um jogo como os outros.

Lembro-me, por exemplo, dos confrontos entre as duas equipes no final dos anos 80 e início dos anos 90.
Manuel Dos SantosTreinador sub-17 do AS Monaco

Qual é a atmosfera em torno de um AS Monaco x OM na base, especialmente no sub-17 que você treina?
Entre os jovens é diferente. Estamos mais na fibra da identidade, porque viajamos menos do que os profissionais e enfrentar o Marselha é uma partida de referência da temporada da mesma forma que contra Nice, Montpelier ou Nîmes, os outros clubes profissionais que enfrentamos em nosso grupo. Há uma supremacia em jogo.

Duelo com Gaël Givet durante a semifinal AS Monaco x OGC Nice em 2006

Do que você lembra de suas experiências como jogador de AS Monaco e Olympique de Marselha?

Marselha é onde eu realmente existi como jogador, onde eu pude me expressar melhor. O OM está sempre em meu coração, mas o AS Monaco está em meu sangue para sempre. Eu usei essa camisa desde os cinco anos, é o meu clube! Eu cresci da escolinha aos profissionais, quase terminei minha carreira aqui* e hoje tenho a chance de trabalhar com os jovens. É algo bastante especial. Como estamos falando desse clássico AS Monaco x OM, lembro-me, por exemplo, dos confrontos entre as duas equipes no final dos anos 80 e início dos anos 90.  Sempre houve uma grande rivalidade entre esses dois clubes.
Ter dois clubes franceses em finais europeias na mesma temporada era algo excepcional
Manuel Dos SantosTreinador sub-17 do AS Monaco

Teve algum AS Monaco x OM que te marcou mais?
Lembro-me de uma partida em 2004, quando jogava pelo Marselha. Era início de maio e na quarta-feira assistimos aos monegascos se classificarem para a final da Liga dos Campeões, diante do Chelsea. No dia seguinte, fizemos o mesmo na Liga Europa derrotando o Newcastle. E no fim de semana seguinte, jogamos e perdemos na liga contra o AS Monaco no Stade Louis-II. Ludo Giuly havia marcado um gol nos acréscimos, mas a verdadeira preocupação era a lesão de Didier Drogba, que foi atingido nas costelas. Sua lesão se arrastou até a final que perdemos para o Valencia, algumas semanas depois. E o AS Monaco também perdeu para o Porto… Mas ter dois clubes franceses em finais europeias na mesma temporada era algo excepcional.

Duelando com Adebayor e Bernardi, sob os olhares de N’Diaye e Zikos em 2004
*Manuel Dos Santos iniciou sua carreira como jogador profissional no AS Monaco em 1995. Ele se juntou ao Montpellier em 1997, onde permaneceu por três temporadas. Contratado pelo OM em 2000, o lateral-esquerdo passou quatro temporadas no clube antes de ingressar ao Benfica em 2004, retornando ao AS Monaco em 2006 por um ano e meio. Em 2007-2008, Manuel Dos Santos encerrou sua carreira de jogador no RC Strasbourg. Desde 2010 ele é treinador da AS Monaco Academy, onde transmite seu conhecimento e mentalidade do clube aos jovens talentos monegascos.
AS Monaco uses cookies on this website. With your agreement, we use them to access how this website is used (analytic cookies) and to adapt it to your needs and interests (customization cookies depend on your browsing and your browser). By continuing your browsing, you give us the permission to use them.