Fechar
Portrait 22 Julho 2020, 09:08

Niko Kovac e a busca pelo desempenho

Niko Kovac e a busca pelo desempenho
No Principado para vivenciar uma nova aventura à frente do AS Monaco, o técnico croata foi apresentado à imprensa nesta terça-feira (21), 24 horas antes de sua primeira partida no banco de reservas dos Rouge et Blanc

Há jogadores que brilham menos por seu virtuosismo com a bola, do que por sua inteligência de jogo e sua importância em um coletivo, em um vestiário. Da mesma forma, existem treinadores que não precisam gastar horas escrevendo para buscar uma fonte imensurável de motivação dentro de seus jogadores.

Por mais essencial que fosse no meio de campo para percorrer quilômetros, recuperar bolas e dar nova vida à sua equipe, Niko Kovac tornou-se fundamental na privacidade de um vestiário para construir um time, um grupo. Foi por isso que Paul Mitchell, diretor esportivo do AS Monaco desde 17 de junho, foi buscar o croata (83 jogos pela seleção, 15 gols marcados).

Nós dois trabalhamos na Alemanha e no grupo Red Bull. Nós nunca havíamos nos conhecido antes, mas me falaram sobre ele. Eu considerei Niko a pessoa certa para o trabalho.
Paul MitchellDiretor Esportivo

Formado na escola alemã

Hertha Berlin, Bayer Leverkusen, Hamburgo, Bayern de Munique… Niko Kovac foi criado com o rigor alemão como jogador, o que lhe permitiu se destacar na Bundesliga, antes de terminar sua carreira na Áustria, no Red Bull Salzburg , com quase 500 jogos profissionais no currículo. Isso também permitiu que ele fizesse parte de sua seleção e disputasse duas Copas do Mundo (2002/2006) e duas Euros (2004/2008).

A mente, o sentido coletivo, o rigor. Todas os critérios foram finalmente marcados para o ex-jogador se transformar em um treinador. E é isso que Niko Kovac fez, começando a assumir a administração da equipe sub-21 de seu país (2013), antes de assumir rapidamente o comando da seleção principal, após cinco vitórias consecutivas com os jovens.

Ele herdou uma nação que se classificou para os play-offs da Zona Europeia para a Copa do Mundo de 2014 no Brasil, da qual saiu vitoriosa contra a Islândia. Caindo no grupo do país anfitrião, ele foi eliminado na fase de grupos, mas ainda coroado com uma vitória retumbante sobre Camarões de Volker Finke (4×0), um antigo conhecido do Campeonato Alemão. Chegava a hora de ele desabrochar jovens talentos croatas, como Marcelo Brozovic (Inter de Milão), Mateo Kovacic (Chelsea) ou até Sime Vrsaljko (Inter de Milão).

Principal personagem do renascimento do Frankfurt

Logo após sua experiência na seleção, o nativo de Berlim Ocidental aceitou um desafio difícil ao se juntar ao Eintracht Frankfurt em março de 2016, enquanto o clube lutava para não cair. Ele enfrentou o desafio perfeitamente ao vencer a repescagem contra o rebaixamento diante do Nuremberg (1×0). Na temporada seguinte, Niko Kovac conquistou um respeitável 11º lugar na Bundesliga, com uma equipe a qual ele estava reconstruindo passo a passo, ao lado de seu irmão mais novo, Robert.

Ele contou com jogadores de talento e caráter como Ante Rebic (atualmente no Milan) e Haris Seferovic (agora no SL Benfica), os quais ele transmitiu sua experiência de alto nível. Como resultado, o Frankfurt avançou para a final da Copa da Alemanha, perdendo para o Borussia Dortmund (2×1).

Era apenas um adiamento, pois a equipe ganhou impulso novamente na temporada seguinte (2017-18). Com um recrutamento direcionado e inteligente (Rebic, Gelson Fernandes, Jovic, Haller, Willems, Boateng, Falette), ele conquistou o oitavo lugar na liga e seu primeiro título na Copa da Alemanha, contra o grande Bayern de Munique (3×1), com uma classificação para a Liga Europa.

Há três pessoas comigo na minha equipe: meu irmão Robert, meu primeiro assistente, que, como você pode imaginar, é uma pessoa de grande confiança para mim, em quem posso confiar em todas as circunstâncias e que também teve uma ótima carreira como jogador. Também há Goran Lackovic, meu segundo assistente e com quem trabalhei na seleção croata, assim como Walter Gfrerer, austríaco e que estará mais focado na preparação física. Somos uma equipe pequena, mas sólida e que se conhece bem, com a qual obviamente podemos contar.
Niko KovacTreinador do AS Monaco

Uma experiência de alto nível no Bayern

Não demorou mais do que isso para o jovem técnico ser cortejado pelo clube bávaro. Niko Kovac aceitou a forte sucessão da lenda da instituição, Jupp Heynckes, campeão europeu de 2013, em 1º de julho de 2018. Sob a direção esportiva de seu ex-companheiro de equipe na Baviera, Hasan Salihamidzic, ele contribuiu para atrair jogadores promissores como Alphonso Davies, Leon Goretzka ou mesmo Serge Gnabry.

A receita funcionou imediatamente, e o ex-meio-campista do Bayern levou a equipe a um belo triplé Bundesliga – Copa da Alemanha – Supercopa da Alemanha em 2019, em sua primeira temporada no banco do pentacampeão europeu. Uma pesada responsabilidade que ele carregou por mais alguns meses, trazendo os campeões mundiais Lucas Hernandez e Benjamin Pavard, além de Philippe Coutinho e seu compatriota Ivan Perisic.

A partir de agora, seu futuro está se formando às margens do Mediterrâneo, aos pés do Rochedo, para um novo grande desafio: permitir que o AS Monaco volte às primeiras colocações da Ligue 1 e às noites europeias, que fizeram a história do clube do Principado por trinta anos. Seguir os passos de seus compatriotas Dado Prso e Danijel Subasic em suma.

De qualquer forma, o clube deseja a ele o maior sucesso possível no banco Rouge et Blanc. Dobrodosli Niko!

Reviva a coletiva de imprensa de Niko Kovac, junto com Oleg Petrov e Paul Mitchell, em nossa página no Facebook.

AS Monaco uses cookies on this website. With your agreement, we use them to access how this website is used (analytic cookies) and to adapt it to your needs and interests (customization cookies depend on your browsing and your browser). By continuing your browsing, you give us the permission to use them.